Em 15 de agosto, a advogada da Agência UFRJ de Inovação, Gabriela Santos, apresentará uma palestra que terá como tema os "Aspectos jurídicos da integração academia-empresa". O evento ocorrerá às 12h no auditório Hélio Fraga, no segundo andar do bloco K do CCS.

 

palestragabriela2019

 

 

inovacao e empreendedorismo universitario

Os servidores da UFRJ interessados em aprender mais sobre a temática da Inovação poderão realizar o curso de capacitação "Inovação e Empreendedorismo Universitário". As aulas serão realizadas no período de 04/09 a 23/10 e deverão ser ministradas no CCS, às quartas-feiras, das 13h às 17h. Serão oferecidas 20 vagas e as inscrições ficam abertas até 03/09.

Segue o conteúdo programático:

- Introdução à inovação: conceitos, definições e modelos;
- Aspectos legais da inovação e empreendedorismo no Brasil;
- Inovação e e empreendedorismo no Estado do Rio de Janeiro;
- Fundamentos de propriedade intelectual;
- Fundamentos de empreendedorismo, spin-offs e startups;
- Empreendedorismo social;
- Relacionamento com a iniciativa privada e captação de recursos;
- Difusão de inovação e empreendedorismo na UFRJ.

Mais detalhes aqui.

 

 

inauguracaoaircentre

Projeto tem como objetivo o desenvolvimento de pesquisas sobre mudanças climáticas e questões relacionadas ao Oceano Atlântico. Evento também marcará lançamento de programa Living Lab, do Parque Tecnológico da UFRJ

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), por meio do Parque Tecnológico da UFRJ e do Laboratório de Métodos Computacionais em Engenharia (LAMCE) da COPPE/ UFRJ, inaugura no próximo dia 9 de agosto o AIR Centre – Rio de Janeiro, projeto que tem como objetivo promover novos conhecimentos sobre mudanças climáticas e questões relacionadas ao Atlântico, conectando tecnologias de águas profundas a tecnologias espaciais por meio da cooperação global. A inauguração acontecerá a partir das 9h, no auditório do Parque Tecnológico da UFRJ, e contará também com a presença do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Portugal, Manuel Heitor, e da Reitora da UFRJ, Denise Pires.

A implementação da parceria foi conduzida pelo Parque Tecnológico da UFRJ e pelo Laboratório de Métodos Computacionais em Engenharia da COPPE / UFRJ, trazendo para a UFRJ a instalação de uma unidade de referência do AIR Centre. O objetivo do programa é identificar áreas de interesse científico e tecnológico mútuo que abordem as prioridades regionais e os desafios globais. A agenda científica do AIR Centre também está alinhada com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU. A iniciativa contribuirá para transformar o Parque, com o suporte do LAMCE, em um living lab (laboratório vivo) para a criação e demonstração de soluções inovadoras para o Oceano Atlântico.

Para José Carlos Pinto, diretor do Parque Tecnológico da UFRJ, a inauguração do AIR Centre – Rio de Janeiro é uma iniciativa extremamente relevante, pois ela concretiza a estratégia da Universidade e do Parque de desenvolvimento de parcerias internacionais. “Esta inauguração realiza a estratégia de participarmos de forma plena e intensa em todas as atividades de pesquisa relacionadas ao Oceano Atlântico. Essas atividades são muito relevantes para a UFRJ porque a universidade abriga laboratórios de pesquisa de excelência nas áreas relacionadas ao estudo dos oceanos, à engenharia naval, às telecomunicações, dentre muitas outras, que podem ser associadas futuramente ao projeto. Além disso, a inauguração cristaliza uma rede de intercomunicações da UFRJ com o resto do mundo. Estamos muito contentes com a oportunidade de inaugurar o escritório do AIR Centre no Rio de Janeiro, no Parque Tecnológico, e convidar as empresas e a Universidade a colaborarem com esse projeto”, afirma.

Para Luiz Landau, diretor do LAMCE, a iniciativa é muito importante para que a UFRJ possa contribuir efetivamente com o desenvolvimento sustentável do ecossistema marinho. “O AIR Centre - Rio de Janeiro é uma iniciativa espetacular, sendo uma rede mundial para compartilhar conhecimento científico e tecnológico para responder aos desafios em torno do Oceano Atlântico, com foco na Agenda da ONU 2030. Será um enorme incremento para que a UFRJ possa efetivamente contribuir na busca de um desenvolvimento sustentável para o ecossistema marinho que nos banha e principalmente para as pessoas”, diz Landau.

Evento também marcará lançamento de programa Living Lab, do Parque Tecnológico da UFRJ.

Na ocasião, também será apresentado o Programa Living Lab Rio, do Parque Tecnológico. O Living Lab Rio é um laboratório urbano aberto, voltado para aplicação, uso e estudo de soluções inovadoras que contribuem para tornar as cidades mais inclusivas, seguras e sustentáveis.  Alinhado com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU e concebido em parceria com a Prefeitura e com o Governo do Estado do Rio de Janeiro, o programa busca implementar soluções inovadoras para o desenvolvimento urbano da cidade do Rio de Janeiro. O objetivo é avaliar técnica e economicamente os impactos observados e possibilitar que seja replicado nas demais cidades do país.

Sobre o AIR Centre

Com sede física nos Açores (Portugal), o AIR Centre é um projeto que congrega governos, universidades, centros de investigação e empresas internacionais. Os países fundadores são Portugal, Espanha, Brasil, Angola, Cabo Verde, Nigéria, Uruguai, São Tomé e Príncipe, juntamente com o governo regional dos Açores. São ainda observadores, nesta fase, o Reino Unido e a África do Sul. O AIR Centre vai reunir cientistas e pesquisadores de diversos países, incluindo o Brasil, para desenvolver estudos sobre clima, biodiversidade, correntes marinhas e outros aspectos do oceano, que possam ser usados com o objetivo de gerar desenvolvimento econômico.

 

 

embalagens1

Em julho, o Instituto Nacional da Propriedade Industrial deferiu mais um pedido de patente de modelo de utilidade da Universidade. Trata-se do Sistema de embalagens para acondicionamento de frutas in natura, desenvolvido através de uma parceria de pesquisadores do Instituto Nacional de Tecnologia (INT), da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e da UFRJ.

Os esforços conjuntos entre as três instituições culminaram com o desenvolvimento de um sistema de embalagens para frutas e hortaliças desenhado de modo a acomodar e proteger anatomicamente vegetais como manga, mamão, caqui, morango e palmito, entre outros. Resultantes de um processo de escaneamento 3D que determina a melhor forma de armazenar estes alimentos, as embalagens são compostas por uma bandeja reciclável de geometrias variadas, e uma base articulada e retornável que se dobra e arma com um simples movimento, o que reduz o tempo de montagem. Além disso, seus formatos são compatíveis com os pallets utilizados tanto no Brasil quanto na Europa, viabilizando a sua utilização tanto no mercado doméstico quanto nos países que importam estes produtos do Brasil.

 A iniciativa visa principalmente a solucionar parte do desperdício de alimentos que acontece por questões de inadequação e ineficiência logística. Segundo dados da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), aproximadamente 40% dos vegetais produzidos em todo o mundo para a alimentação acabam não chegando ao prato do consumidor final por conta de sua deterioração. Curiosamente, esta porcentagem é observada tanto em países desenvolvidos quanto naqueles em desenvolvimento. A diferença é que nos primeiros o desperdício ocorre durante a fase de comercialização, enquanto nos países em desenvolvimento isso acontece durante os processos de transporte e armazenamento. Esse dado alarmante pode ser atribuído, em grande parte, à utilização de embalagens inadequadas. Daí a importância deste produto inovador.

Não é à toa que as embalagens obtiveram reconhecimento nacional, ganhando o Prêmio Brasil Design Award 2013 na categoria Embalagens para Alimentos. Internacionalmente, a condecoração veio através do International Forum Design Award, um dos mais prestigiados prêmios de excelência em desenho industrial. O projeto resultou também em 39 depósitos de patentes, sendo dois pedidos de patente de invenção, três pedidos de modelo de utilidade e 34 registros de desenho industrial junto ao Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI).

Este vídeo produzido pela Embrapa, bem como este documento trazem mais detalhes sobre as embalagens.

 

 

 

laboratorio de desenvolvimento e otimizacao de processos organicos

A Agência UFRJ de Inovação anuncia abertura de edital de licenciamento de patentes na área de Biotecnologia. O objetivo é selecionar empresas ou grupos interessados em explorar comercialmente criações protegidas. A oferta é feita com base na legislação que regulamenta a transferência de tecnologia no Brasil (Leis n° 8.666/93, 10.973/2004, 13.243/2016 e Decreto n° 9.283/2018).

Nesse certame, dois objetos registrados no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) serão licenciados: Método de Promoção do Aumento Exacerbado da Biomassa Vegetal e Método para Promover um Aumento da Biomassa e Produtividade Vegetal e da Tolerância à Seca. Ambos foram desenvolvidos pelo Laboratório de Biologia Molecular de Plantas (LBMP), vinculado ao Instituto de Bioquímica Médica (IBQM) da UFRJ.

O LBMP tem como objetivo geral de suas pesquisas a identificação de mecanismos de controle que integram a regulação do ciclo celular com sinais ambientais endógenos e exógenos. Uma dessas pesquisas, iniciada há 25 anos, culminou na identificação de dois reguladores do ciclo celular – AIP10 e APC7 – que, quando têm sua expressão modificada, aceleram o crescimento de plantas, produzem maior biomassa vegetal e mais sementes. Os resultados também mostram que as plantas modificadas adquirem maior tolerância a estresses ambientais, como seca e doenças.

O edital fica aberto até 21 de agosto e está disponível e pode ser baixado aqui. Já os anexos podem descarregados aqui: arquivo 1; arquivo 2. Mais informações sobre o processo de seleção podem ser obtidas diretamente na Agência UFRJ de Inovação, situada à Rua Hélio de Almeida, s/n°, Incubadora de Empresas, prédio 2, sala 29. Telefones: (21) 3733-1793 e (21) 3733-1797.

 

 

Producao de enzimas por fermentacao em estado solido de residuo agroindustrial

A Agência UFRJ de Inovação está com mais uma tecnologia disponível para licenciamento. Trata-se da "Produção de enzimas por fermentação em estado sólido de resíduo agroindustrial". A oportunidade é voltada para empresas interessadas em fazer uso da mesma no setor produtivo. Os interessados em maiores informações devem entrar em contato com a Agência UFRJ de Inovação.

A tecnologia consiste num novo processo de produção de peptidases por fermentação em estado sólido utilizando resíduos agroindustriais como substrato. O processo inclui a produção de peptidases e uma etapa otimizada de extração dessas enzimas com o uso de surfactantes. As enzimas produzidas podem ser aplicadas nas mais diversas áreas de interesse, em especial na formulação de detergentes.

Desafios e objetivos

No Brasil, 86% das enzimas utilizadas são importadas. Nossa produção industrial de enzimas é limitada, principalmente, devido aos custos dos substratos utilizados. Avalia-se que cerca de 40% do custo na produção de enzimas é referente ao substrato. Considerando a importância crescente da tecnologia enzimática, o país pode se tornar ainda mais dependente da importação de enzimas nos próximos anos, gerando prejuízos à sua balança comercial. O Brasil possui uma grande produção agroindustrial que gera toneladas de resíduos e coprodutos agroindustriais ricos em nutrientes. A fermentação em estado sólido permite o uso de resíduos agroindustriais como substrato para produção de enzimas, sendo uma alternativa para diminuir a dependência internacional e os custos de produção.

Solução

Através desse processo é possível reduzir o custo da produção das enzimas, já que o substrato utilizado é um resíduo ou coproduto agroindustrial de baixo custo. Além disso, há uma diminuição dos problemas de disposição desses resíduos na natureza, empregando-os em novos processos industriais. Por fim, novos processos de produção de enzimas podem levar à descoberta de enzimas com diferentes características e novos potenciais de aplicação.

 

 

galeriacircuito

A Galeria Curto Circuito de Arte Pública, do Parque Tecnológico da UFRJ, é um dos dez projetos finalistas do prêmio Inspiring Solutions, da Associação Internacional de Parques Tecnológicos e Áreas de Inovação (IASP).

A Galeria é um projeto do Parque em parceria com a Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro e vem transformando o Parque em um laboratório vivo para a experimentação da arte unindo tecnologia e inovação. Criada em 2017, já expos 58 trabalhos e intervenções urbanísticas de mais de 200 artistas convidados, alunos e professores da universidade. “Nossa ideia é unir pensamento científico e pensamento criativo, fazendo com que tecnologia e arte andem de mãos dadas. A gente acredita que um Parque Tecnológico é também um local de encontros e conexões e queremos que este seja ambiente inspirador”, diz José Carlos Pinto, diretor executivo do Parque. O objetivo do Parque, ao espalhar arte por suas ruas e fachadas de forma gratuita e aberta ao público, é também aproximar a ciência da sociedade.

Mais informações sobre a Galeria estão no site www.parque.ufrj.br  e no vídeo https://www.youtube.com/watch?v=EbNDFA9YygE&t=19s

O Programa de Soluções Inspiradoras da IASP é uma iniciativa que tem como objetivo o compartilhamento de conhecimento, ideias, soluções e projetos inovadores no mundo dos parques científicos e áreas de inovação.

Conheça aqui todos os 10 finalistas.

 

 

dl101pbr20193

 

Até o dia 2 de agosto, o INPI estará com inscrições abertas para o Curso Geral de Propriedade Intelectual à Distância (DL 101P BR). Este curso abrange os aspectos fundamentais de propriedade intelectual, incluindo a legislação e estudos de caso brasileiros. O conteúdo nacional foi desenvolvido por especialistas do INPI. Os temas apresentados são: direitos autorais, patentes, marcas, indicações geográficas, desenhos industriais, proteção de novas variedades vegetais/cultivares, concorrência desleal, informação tecnológica, contratos de tecnologia e tratados internacionais.

Link para inscrições: https://bit.ly/2pdo7Aq

Mais informações:  https://bit.ly/2JoWrS9

 

 

alunoscontadores20192

Apoiado pela Agência UFRJ de Inovação, o projeto Alunos Contadores de Histórias é uma ação realizada pelo Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira, que relaciona a atividade de humanização da saúde com os conceitos de Inovação Social. A cada semestre, esse projeto de extensão universitária capacita uma nova turma de alunos. Munidos de jalecos coloridos e sacolas repletas de livros infantis, eles dedicam duas horas semanais ao projeto, doando e recebendo sorrisos ao contar histórias infantis para as crianças atendidas no IPPMG, Instituto de Pediatria da UFRJ, localizado na Ilha do Fundão. Desde 2008 o projeto incentiva o hábito da leitura e ajuda a amenizar o sofrimento das crianças e adolescentes no ambiente hospitalar.

Os interessados em fazer parte desta história devem ler o edital de inscrição onde é possível encontrar mais informações sobre o projeto, esclarecimentos acerca do funcionamento do processo seletivo para a turma de 2019.2 e o intuito da Palestra de Apresentação do projeto. As inscrições se encerram em 30/07. Mais informações através do email Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

 

Obtencao de microesferas de poliacetato de vinila PVAC radioiodadas para uso em radioembolizaca

A Agência UFRJ de Inovação está com mais uma tecnologia disponível para licenciamento. Trata-se da "Obtenção de microesferas de poliacetato de vinila (PVAC) radioiodadas para uso em radioembolização SPECT". A oportunidade é voltada para empresas interessadas em fazer uso da mesma no setor produtivo. Os interessados em maiores informações devem entrar em contato com a Agência UFRJ de Inovação.

A invenção apresenta uma metodologia de inserção do radioisótopo iodo 123 em micropartículas poliméricas usadas como agentes de embolização. O material radioiodado permite a obtenção de imagens com a técnica SPECT, que apresentam alta resolução e assim melhoram a eficácia do procedimento de embolização. A embolização consiste em promover a oclusão de vasos sanguíneos alimentadores de tumores para causar sua morte por desnutrição. Miomas uterinos, por exemplo, são tratados por embolização.

Desafios e objetivo

Atualmente, técnicas de obtenção de imagens que utilizam raios-X são utilizadas para monitorar a distribuição do agente de embolização em vasos sanguíneos. No entanto, para efetivamente localizar estas partículas durante a inserção das mesmas com auxílio de cateter, é necessário realizar exames patológicos, o que demanda mais tempo e custo, além de gerar maior desconforto ao paciente. Dessa forma, a tecnologia tem como objetivo obter um agente de embolização que forneça imagens de qualidade superior à atual, tornando o procedimento de embolização mais eficaz, seguro e confortável.

Solução

A radioiodação do ácido salicílico e subsequente polimerização do produto radioiodado com acetato de vinila fornece microesferas poliméricas radiomarcadas que podem ser usadas como agente de embolização. A presença do iodo 123 possibilita o uso da técnica SPECT, que fornece imagens de alta resolução quando comparadas às imagens obtidas com as técnicas de fluorescência de raios-X, angiografia e tomografia computadorizada. Dessa forma, a tecnologia agrega valor ao procedimento de embolização.

 

 

Sintese de nanoparticulas de prata utilizando o extrato da folha de goiabeira

A Agência UFRJ de Inovação está com mais uma tecnologia disponível para licenciamento. Trata-se da "Síntese de nanopartículas de prata utilizando o extrato da folha de goiabeira". A oportunidade é voltada para empresas interessadas em fazer uso da mesma no setor produtivo. Os interessados em maiores informações devem entrar em contato com a Agência UFRJ de Inovação.

Resumo

A invenção consiste num processo de síntese de nanopartículas de prata que ocorre a partir do extrato da folha de Psidium guajava L. (goiabeira) com o uso de nitrato de prata. O processo possui características singulares de sustentabilidade, baixo custo, elevada eficiência e é considerado um procedimento tecnológico limpo por ser amigável ao meio ambiente. As nanopartículas de prata são utilizadas para diversos fins tecnológicos e a presente invenção é qualificada para estes propósitos bem como diversas possíveis inovações tecnológicas.

Desafios e Objetivos

O Brasil é o maior produtor de goiabas vermelhas do mundo e na agricultura há necessidade de poda das árvores para a manutenção dos cultivos e rendimentos frutíferos, tornando a folha da planta um rejeito do agronegócio que pode ser utilizado, a baixo custo, para a síntese dasnanopartículas. As aplicações desta tecnologia abrangem desde a nanoeletrônica até as indústrias de tintas, têxteis, alimentícias, dentre outras relacionadas aos bens intermediários e bens de consumo.

Solução

O processo de síntese de nanopartículas em escala comercial geralmente ocorre através do uso de rotas químicas que utilizam solventes tóxicos ou biorreatores de alto custo, tornando a presente invenção uma rota alternativa interessante para o mercado. Além disso, as nanopartículas de prata também são capazes de serem antimicrobianas contra patógenos multirresistentes e estabelecem-se, assim, como uma tecnologia fundamental no combate à disseminação e proliferação de micro-organismos causadores de infecções.

 

 

saboresesaberes2019Em 2019 o Encontro Sabores e Saberes comemorará sua 11ª edição. O evento foi lançado em 2009 e, desde então, faz parte do calendário de eventos da UFRJ. Neste ano o tema central será “Do campo à mesa: orgânicos, agrotóxicos e tecnologias na produção de alimentos”. Ele ocorre nos dias 12 e 13 de setembro no Auditório do Bloco N, CCS UFRJ.

A recente aprovação em massa de novos defensivos agrícolas vem reacendendo a polêmica em torno do uso desses produtos na lavoura e seus impactos sobre a saúde e o meio ambiente. Deste modo, o evento pretende promover um ambiente para reflexão sobre os assuntos a serem abordados, apresentando argumentos a favor e contra as distintas formas de produção de alimentos de modo a contribuir com a formação de opinião crítica sobre a temática abordada.

A programação do evento incluirá debates científicos, apresentação de trabalhos, a participação da feira agroecológica da UFRJ. Haverá também um pré-evento oferecendo visita guiada ao espaço agroecológico no campus Fundão e uma oficina culinária. Os interessados em submeter trabalhos podem fazê-lo até o dia 26 de julho.

O Encontro é uma realização do Instituto de Nutrição Josué de Castro e da Agência UFRJ de Inovação, com o apoio do Sistema de Alimentação da UFRJ.

Incrições e maiores detalhes através deste link.

 

 

InnovationSummit2019

O evento acontece entre os dias 12 e 14 de agosto em Florianópolis – SC e pretende reunir mais de duas mil pessoas do Brasil e do mundo para debater sobre “Ecossistemas de Inovação: criativos, conectados e competitivos”.

Com o objetivo de formular proposições para apoiar e estimular o investimento em empreendedorismo inovador no país e reunir diferentes agentes para definição de ações voltadas ao fortalecimento da capacidade de inovação e da competitividade da economia, o Innovation Summit Brasil abre o seu período de inscrições com diversos lotes promocionais.

A programação do evento conta com sessões plenárias de diferentes temas do ecossistema de inovação brasileiro – como “investimento inteligente”, “indicadores e retorno de investimentos em C,T&I”, e “competitividade e inovação no Brasil pós reformas” – e com o Fórum Sebrae de Inovação.

Além da programação do Summit, o evento conta, também, com atividades paralelas das instituições que compõem a Rede Nacional das Associações de Inovação e Investimentos (RNAII) – realizadora do evento. Essas atividades também necessitam de inscrição prévia.

Com uma programação tão diversificada, é possível se inscrever tanto no Innovation Summit Brasil (sessões plenárias + Fórum Sebrae) quanto nas atividades paralelas; ou também apenas no Summit, ou apenas nas atividades paralelas. Basta fazer a escolha no momento da inscrição.

A programação do Innovation Summit Brasil acontece em horários exclusivos, ou seja, sem atividades paralelas concomitantemente. Assim, o participante pode se programar para assistir tanto as apresentações gerais, quanto as paralelas.

Os associados de todas as instituições que compõem a RNAII têm desconto especial na inscrição do Innovation Summit Brasil.

 

Sobre a RNAII

A RNAII é uma iniciativa inédita de colaboração das grandes entidades fomentadoras do empreendedorismo inovador, em prol de todo o ecossistema brasileiro de ciência, tecnologia e inovação. Composta pela Abipti (Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação); ABstartup (Associação Brasileira de Startups); Abvcap (Associação Brasileira de Private Equity & Venture Capital); Anjos do Brasil; Anpei (Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras); Anprotec (Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores) e pelo Fortec (Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia).

Juntas, essas associações representam mais de mais de 150 instituições de pesquisa, 300 gestores de núcleos de inovação, 370 ambientes de inovação (incubadoras, aceleradoras, parques tecnológicos), 120 investidores de venture capital, 5000 startups, 7000 investidores anjos, e 200 empresas inovadoras de grande e médio porte, na colaboração e fortalecimento de ações, públicas e privadas, focadas na transformação do conhecimento em riqueza.

 

A Sede

Florianópolis-SC não foi selecionada para sediar o evento por acaso. A região abriga, atualmente, mais de 16 mil empreendedores e o número de empresas de tecnologia subiu 3,42% entre 2015e 2017. Considerando os últimos 30 anos, o crescimento foi de 10.000%. De acordo com relatório do Bradesco BBI, divulgado em 15 de fevereiro de 2019, Florianópolis tem 3% da população brasileira, mas possui 20% das startups do país. Segundo a Associação Caterinense de Tecnologia (Acate), o setor tecnológico já representa 5,6% do PIB do estado, com um faturamento de R$ 15,5 bilhões.


Serviço

Evento: Innovation Summit Brasil
Data: 12 a 14 de agosto
Local: Centro de Eventos Governador Luiz Henrique da Silveira. Rodovia SC-401, km 01, S/N.
Trevo de Canasvieira. Florianópolis – SC.
Site oficial: innovationsummitbrasil.com.br
Inscrições: Clique aqui

 

 

40in

A Incubadora de Empresas da COPPE/UFRJ e a startup residente We Age estão lançando o 40+IN, movimento que tem como objetivo conectar talentos de 40 ou mais anos de idade com startups que enfrentam múltiplos desafios para seu desenvolvimento. A iniciativa se baseia em pesquisas globais recentes que comprovam que a idade média de um empreendedor à frente de uma startup bem sucedida é de 45 anos.

Mais de 70% de startups instaladas na Incubadora de Empresas COPPE/UFRJ têm, em seus quadros, fundadores com mais de 40 anos de idade. Além disso, nos últimos quatro anos, a Incubadora e o Instituto Coppead de Administração da UFRJ desenvolvem um programa de mentoring, em que ex-alunos da escola orientam os novos empresários. Nesse período, foi possível identificar que este profissional 40+ está em busca de uma nova trajetória. Por isso a Incubadora decidiu lançar o 40+in, um movimento de valorização de talentos com 40 ou mais anos de idade.

                                                                                         

Para participar do programa basta se inscrever no link.

Saiba mais sobre o programa no vídeo que está no canal do Parque Tecnológica da UFRJ no Youtube. Assista aqui!

 

 

hacknit2019

A Prefeitura de Niterói deu a largada para o HackNit 2019 – segunda edição da maratona de tecnologia da cidade – que será realizada em agosto. As inscrições para o hackathon são gratuitas e poderão ser realizadas com o preenchimento do formulário no portal do evento até as 23h59 do dia 15 de julho. Com o tema ‘Cidade Inteligente’, o HackNit vai reunir programadores, profissionais ligados ao desenvolvimento de software, designers, empreendedores, professores e interessados por temas sensíveis à administração pública para desenvolver soluções tecnológicas inovadoras e aplicáveis que otimizem os serviços prestados ou a gestão interna da Prefeitura. A premiação foi estipulada em R$ 25 mil, para o primeiro lugar; R$ 15 mil para o segundo colocado e R$ 5 mil para o terceiro.

“Queremos construir uma administração pública melhor com a participação das pessoas no desenvolvimento de tecnologias e a inovação que se revertam em benefício da cidade. Acreditamos muito no potencial dos participantes para fazer uma dobradinha com o Poder Público”, afirmou o secretário de Planejamento, Orçamento e Modernização da Gestão (Seplag), Axel Grael.

O HackNit será realizado no Museu da Ciência e Criatividade – Casa do Conhecimento, conhecido como Cúpula da Fundação Niemeyer, no Caminho Niemeyer. O evento terá duas etapas; a primeira, entre os dias 17 e 18 de agosto, e a segunda, dia 28 de setembro.

Todos os projetos deverão ser inéditos e estar relacionados ao tema ‘Cidades Inteligentes’, com foco em um dos desafios que serão divulgados no primeiro dia da disputa. As apresentações, em códigos abertos, respeitarão a programação a ser definida pela organização, inclusive, com a entrega de relatórios semanais sobre o desenvolvimento das ideias. Será obrigatória a utilização, direta ou como referência para as soluções apresentadas, da base de dados da Prefeitura que será fornecida pela organização.

O júri, formado por profissionais da área de tecnologia, empreendedores e gestores públicos, será responsável pela análise dos produtos.

 

Participação

Os participantes, que devem ter 18 anos completos, podem se inscrever em uma única equipe formada por três e no máximo cinco integrantes, identificadas por meio de nome e CPF nas modalidades pessoas físicas, startups e empresas. A pessoa jurídica que optar em integrar o time de uma startup não pode participar de bolsa de valores ou mercado aberto de capital, tem que estar registrada há menos de dois anos e com o faturamento bruto anual de 2018 abaixo de R$ 1 milhão. No contrato social deve constar o desenvolvimento ou prestação de serviços inovadores a partir do uso de tecnologia, caso contrário a opção é competir como uma empresa.

Não serão aceitas inscrições de servidores públicos, permanentes ou temporários, da Prefeitura, nem as de funcionários terceirizados, estagiários ou de qualquer colaborador de empresa que presta serviço ao município.

Na primeira etapa, 20 equipes serão selecionadas pela ordem de inscrição. Os participantes serão informados sobre a aprovação por e-mail ou telefone. A relação com nomes será divulgada em dez dias úteis após o encerramento das inscrições no portal do HackNit. Os concorrentes poderão se habilitar em uma lista de espera para preencher uma vaga em caso de desistência. No máximo 10 equipes vão para a fase final.

Mais informações no site http://hacknit.com.br ou no Diário Oficial de 13 de junho.

 

PROGRAMAÇÃO

Primeira etapa:

17 de agosto: Formação de ideias

8h – Credenciamento

9h – Abertura

10h às 21h – Programação a ser definida pela Organização

21h – Encerramento

18 de agosto: Entrega dos Pitches (apresentações) de Ideação

9h – Retomada das atividades

10h às 21h – Programação a ser definida pela Organização

21h – Encerramento

De  19 de agosto a 27 de setembro: Fase de projetos

Segunda etapa: Dia 28 de setembro

8h – Credenciamento

9h – Abertura

10h às 21h – Programação a ser definida pela Organização

21h – Encerramento

 

 

novasregras

Seguindo a diretriz de simplificação dos procedimentos para atender à demanda do setor produtivo, o INPI publicou, na Revista da Propriedade Industrial (RPI) do dia 18 de junho, novas regras para os exames prioritários de pedidos de patentes, cujos processos serão mais simples e rápidos. As mudanças foram formalizadas pela Resolução nº 239/2019 e pela Instrução Normativa DIRPA nº 01/2019.

Vale lembrar que os exames prioritários incluem diversos grupos e setores estratégicos, como pedidos de patentes feitos por microempresas ou Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs), bem como tecnologias verdes e para a área de saúde. Os processos relativos ao Patent Prosecution Highway (PPH) também estão incluídos.

A principal novidade é a uniformização dos requisitos para entrar em cada um dos prioritários, com o objetivo de facilitar o processo para o usuário. Com as mudanças implementadas, o tempo para analisar a entrada do pedido de patente no exame prioritário deverá ser de até um mês e o exame poderá ocorrer em cerca de quatro meses, dependendo da modalidade.

Outras mudanças administrativas foram realizadas, como a alteração dos códigos de serviço e de despacho, além da padronização da análise dos requerimentos no INPI.

Acesse a Resolução nº 239/2019 e a Instrução Normativa DIRPA nº 01/2019 na seção de comunicados da RPI de 18 de junho.

 

 

seminarios2019inpi

O Instituto Nacional de Propriedade Industrial está com inscrições abertas para a edição 2019 dos Seminários em Propriedade Intelectual, Inovação e Desenvolvimento. Este ano, os palestrantes são discentes do programa do Doutorado Profissional e os moderadores são docentes do programa. Os seminários acontecem uma vez por mês, às quintas-feiras na parte da manhã. Serão disponibilizados certificados on-line na plataforma do Sympla para aqueles que se inscreverem e comparecerem. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas através deste link. Segue abaixo a progração:

 

04 DE JULHO

 

9:30 - Abertura / Patentes de Invenção e Defesa Nacional: políticas, estratégias e perspectivas

Palestrantes:

Lenilton Duran Pinto Corrêa: Panoramas institucional e acadêmico e desafios contemporâneos no Setor de Defesa

Sandra Aparecida Boiteux Mendes Leal: Política de Inovação na Defesa: Política de Estado ou de Governo? Dificuldades, necessidades e implicações

Roberto Viana da Silva: Legislação, Inovação e desenvolvimento na interseção entre patentes e defesa nacional

Moderadora: Rita Pinheiro-Machado

 

12:00 -Lançamento do livro INOVAÇÃO E CONTRATOS DE TECNOLOGIA

Editora Lumen Juris
Organizadores: Lenilton Corrêa, Bruno Marinho e André Vieira

 

 

01 DE AGOSTO  

 

9:30 às 12:30 - Questões de distintividade em Marcas

Palestrantes:

Elisângela Santos da Silva Borges: A distintividade das marcas de alto renome

Fernanda Jorge de Albuquerque: A distintividade das marcas de medicamentos

Silvia Rodrigues de Freitas: Aquisição da distintividade pelo uso: o secondary meaning

Moderadora: Patrícia Pereira Peralta


 

10 DE OUTUBRO  

 

9:30 às 12:30 - Propriedade Intelectual no setor de Biotecnologia

Palestrantes:

Roberta Fonseca: PI e biotecnologia - aplicações na agricultura

Samaira Siqueira Santos: Como a PI pode proteger a biotecnologia marinha?

Fernando Cassibi de Souza: A importância do programa de exame prioritário da saúde no INPI para acesso a biotecnologia vermelha

Ana Claudia Dias de Oliveira: Perícia de Patentes de Biotecnologia no Brasil - uma abordagem técnica

Moderador: Alexandre Guimarães Vasconcellos

 

 

14 DE NOVEMBRO

 

9:30 às 12:30 - Outros ângulos da Propriedade Industrial: atuações específicas do INPI, Fiocruz e INT

Palestrantes:

Leila Costa Duarte Longa: Fiocruz - Papel da Propriedade Industrial e da Inovação

Lídia Maria da Silva Schrago Mendes: INT - Atuação da unidade EMBRAPII

Lívia Sthefanie Gouvea Lima: INPI - Ações de disseminação da PI

Natércia Fonseca de Carvalho da Silva: INPI - Filas prioritárias para ICTs

Moderadora: Adelaide Antunes

 

 

premiosebrae2019.JPG

 

A UFRJ foi a grande vencedora da categoria Educação Superior do Prêmio Estadual Sebrae Educação Empreendedora, o qual computou 1.069 inscrições de todo o país. O prêmio tem como objetivo identificar, estimular, reconhecer e divulgar as melhores práticas da educação empreendedora no Brasil, em quatro categorias: ensino fundamental, médio, técnico e superior, cujo relato sirva como referência para outros profissionais de educação ou instituições de ensino.

Em cerimônia realizada no dia 4 de junho, os professores Édison Renato (DEI-Poli e PEP-Coppe/UFRJ), Daniela Uziel (ICB/UFRJ), Robson Cunha (Empreendedorismo/UFF) e João Bittencourt (Design/UFF) receberam o prêmio pela iniciativa das Disciplinas Integradas de Empreendedorismo da UFRJ.

Criada  em 2017 quando Cunha era doutorando do PEP/Coppe e Bittencourt professor substituto do Design/EBA, a iniciativa integra, em sua versão de 2019-1, 85 estudantes de 19 cursos diferentes de graduação da UFRJ. Os professores representarão o estado do Rio de Janeiro e a UFRJ nas fases regional e nacional do prêmio, marcadas para julho e agosto de 2019.

 

 

Congresso ABPI

Sob o tema “A Propriedade Intelectual no novo contexto geopolítico mundial”, a Associação Brasileira de Propriedade Intelectual - ABPI promove, de 25 a 27 de agosto, no Hotel Windsor, no Rio, o XXXIX Congresso Internacional da Propriedade Intelectual. Para o evento, o maior do gênero na América Latina, são esperados cerca de 1.000 participantes, nacionais e estrangeiros, entre especialistas do setor, magistrados, consultores, advogados, autoridades de governo, e dirigentes de entidades internacionais -  como a CTA – órgão de proteção da propriedade intelectual da China e a AIPPI – Associação Internacional de Propriedade Intelectual - além de centros privados de pesquisa e representantes de empresas, como Bayer, Natura, Embraer, entre outras.

Além dos debates envolvendo Marcas, Patentes e Direito Autoral, o evento abordará, sob o viés da Propriedade Intelectual, temas da era digital, como inteligência artificial e a indústria de games. Um painel específico debaterá, sob a ótica do mercado, as pesquisas para o uso medicinal da Cannabis e sua regulamentação.

O Congresso da ABPI terá ainda sessões e plenárias com debates sobre patentes nas áreas de biotecnologia e desenhos industriais e a nova Lei de Proteção de Dados Pessoais.

Veja aqui a programação: http://www.abpi.org.br/congresso2019/programasintetico.pdf

 

A ABPI

Sigla de Associação Brasileira da Propriedade Intelectual, a ABPI é uma entidade sem fins lucrativos voltada para o estudo da Propriedade Intelectual, notadamente o direito da propriedade industrial, o direito autoral, o direito da concorrência, a transferência de tecnologia e outros ramos afins.

A ABPI promove conferências, congressos e seminários, edita publicações sobre o tema da Propriedade Intelectual e mantém, permanentemente, Comissões de Estudo e outros grupos de trabalho orientados para o aperfeiçoamento da legislação, doutrina e jurisprudência desse ramo do Direito.

Fundada em 16 de agosto de 1963, a ABPI congrega empresas, escritórios de advocacia e agentes de propriedade industrial do Brasil e do exterior.

 

 

agencia

A Agência UFRJ de Inovação está com uma oportunidade de estágio em aberto. A vaga é direcionada a alunos de graduação da UFRJ que estejam cursando Administração ou Biblioteconomia. Os interessados devem ter CR acumulado superior a 7, ser proativos e possuir interesse pela área de Propriedade Intelectual. Será oferecida uma bolsa de extensão relativa a uma carga horária de 20 horas semanais. Os currículos devem ser encaminhados para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

 

artigostecnicos

 

A Agência UFRJ de Inovação disponibilizou recentemente uma série de artigos técnicos relacionados à temática do Empreendedorismo. Os trabalhos são de autoria do servidor Paulo Reis e tratam sobre os seguintes assuntos:

Nova Economia: Cidade e Posicionamento

Nova Economia: Place Branding

Nova Economia: Gastronomia como Âncora Estratégica

Nova Economia e o Pacto de Milão

Desenvolvimento e Catching-up

Metodologia de Análise de Conteúdos – AC e Grounded Theory

 

Os interessados podem acessar estes e outros artigos através deste link.

 

 

faperj2

A FAPERJ lançou, em 30 de maio, dois novos editais com ênfase nas áreas de tecnologia, inovação e empreendedorismo. Os editais são para o Apoio às Empresas Juniores do Estado do Rio de Janeiro e Apoio a Equipes Discentes em Projetos de Base Tecnológica para Competições de Caráter Educacional. Para Mauricio Guedes, diretor de Tecnologia da FAPERJ, estes editais têm importância especial por estarem direcionados ao corpo discente das universidades do estado. "Através das Empresas Juniores e da participação em competições de caráter científico e tecnológico, esses jovens têm a oportunidade de despertar o interesse pela pesquisa e inovação e viver uma experiência empreendedora que, em muitos casos, vai marcar suas vidas", destacou.

O Edital 07/2019 - Programa de Apoio às Empresas Juniores no Estado do Rio de Janeiro, visa fortalecer a cultura empreendedora e inovadora entre o corpo discente no meio universitário. A FAPERJ está lançando o seu segundo edital direcionado às Empresas Juniores (EJs) ligadas às Instituições de Ensino Superior (IES) de nosso Estado. O edital prevê apoio à participação em eventos empresariais, com foco na divulgação da marca, do portfólio de projetos e na conquista de novos clientes por parte das EJs, assim como a aquisição de equipamentos que tenham como objetivo a ampliação da gama de serviços prestados por elas. Os recursos totais do Edital são da ordem de R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais), sendo que cada proponente poderá solicitar até R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) que serão pagos em parcela única. O projeto deverá ser planejado para a duração máxima de até 12 (doze) meses, contados a partir da data de liberação do recurso.

Já o Edital 08/2019 – Programa de Apoio a Equipes Discentes em Projetos de Base Tecnológica para Competições de Caráter Educacional tem por objetivo apoiar projetos que permitam aos estudantes aplicarem conhecimentos teóricos na execução de projetos práticos, com a finalidade de participarem de competições. Os recursos disponibilizados são da ordem de R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais) e estão divididos em três faixas distintas: Competições Locais, Competições Nacionais e Competições Internacionais.

Confira a íntegra do Edital FAPERJ Nº 07/2019 - Programa Apoio às Empresas Juniores no Estado do Rio de Janeiro

Confira a íntegra do Edital FAPERJ Nº 08/2019 - Programa Apoio a Equipes Discentes em Projetos de Base Tecnológica para Competições de Caráter Educacional

 

 

senado2019

FOTO: Roque de Sá (Agência Senado)

O Plenário do Senado aprovou, em 22 de maio, através do PDL 98/2019, a adesão brasileira ao Protocolo de Madri, que facilita o registro internacional de marcas. A matéria segue agora para promulgação.

O acordo já tem 97 países signatários, que são responsáveis por mais de 80% do comércio mundial. A matéria era uma das pautas prioritárias na agenda da indústria brasileira para 2019, que o Senado se comprometeu a priorizar.

O Protocolo de Madrid habilita as empresas e pessoas físicas de um país-membro a solicitarem, através da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), ligada à ONU, o registro de uma marca já pedida ou registrada no seu país de origem. Esse processo garante a prioridade da marca e simplifica o registro em todas as nações que fazem parte do acordo.

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) entende que o Protocolo gera ganhos significativos em economia de tempo de espera e de custos financeiros e econômicos, devendo causar uma queda de 90% nos custos do registro de marcas para as empresas.

 

 

daiufrj

O Parque Tecnológico da UFRJ lançou, em parceria com a PR-2 (Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa), o programa de Doutorado Acadêmico para Inovação (DAI UFRJ), que conta com colaboração de nove empresas e financiamento do CNPq. O DAI UFRJ busca fortalecer a pesquisa, o empreendedorismo e a inovação na universidade através do envolvimento de estudantes de doutorado em projetos de interesse do setor empresarial por meio de parceria com empresas inovadoras.

O programa está voltado, nesta etapa, para alunos dos programas de pós-graduação em Administração, Clínica Médica, Engenharia Biomédica, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Engenharia Metalúrgica e de Materiais, Engenharia Nuclear, Engenharia Oceânica, Engenharia Química, Engenharia de Nanotecnologia, Engenharia de Produção, Engenharia de Sistemas e Computação, Engenharia de Transportes, Planejamento Energético e Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento. Serão concedidas 10 bolsas, com duração de até 48 meses. Caberá aos programas de pós-graduação indicarem os alunos com perfis mais adequados à chamada, bem como os respectivos orientadores acadêmicos.

As empresas participantes do programa –  parceiras ou localizadas no ambiente de inovação do Parque e Incubadora de Empresas da  COPPE/UFRJ – são: Braskem, Promec, Toco, MJV, Petrec, Vortex, Neopath, Globalyeast e Instituto de Biologia Molecular do Paraná. O CNPq vai financiar as bolsas  e supervisionar o programa. Os interessados devem enviar os documentos de submissão das candidaturas até o dia 7 de junho de 2019. Para mais informações, acesse edital no site.

O programa, gerido pelo diretor executivo do Parque, José Carlos Pinto (representante institucional do DAI), ocorre de forma contínua e poderá abrigar novas empresas e programas de pós graduação ao longo do tempo.

 

 

 

lassbioeurofarma

FOTO por Guilherme Flores

 

O Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Fármacos e Medicamentos (INCT-INOFAR), cuja sede é o Laboratório de Avaliação e Síntese de Substâncias Bioativas (LASSBio/ ICB-UFRJ), anunciou, nesta quarta-feira (22 de maio de 2019), uma parceria inédita com a Eurofarma. O acordo prevê acesso da empresa farmacêutica ao acervo de 2 mil moléculas da quimioteca do LASSBio para o desenvolvimento de pesquisas em conjunto que visam à descoberta de medicamentos inovadores. Dor, leishmaniose, inflamação e depressão são os primeiros alvos escolhidos para essa parceria.

Além do intercâmbio científico para a descoberta de novos medicamentos, o termo de cooperação firmado entre o LASSBio e a Eurofarma abrange a capacitação de recursos humanos, absorção e transferência de tecnologia. Projetos científicos nas áreas de síntese orgânica e farmacologia também estão previstos no convênio, que pode contar ainda com a colaboração de pesquisadores de outras instituições integrantes da rede do INCT-INOFAR. A Faculdade de Medicina da USP-Ribeirão, por exemplo, será uma das parcerias para os estudos de farmacologia.

A parceria foi assinada em cerimônia aberta ao público, no Centro de Ciências da Saúde (CCS/UFRJ), por representantes do INCT-INOFAR, LASSBio e Eurofarma. Estiveram presentes no evento a vice-presidente de Inovação da Eurofarma, Martha Penna, o decano do CCS, professor Luiz Eurico Nasciutti, o diretor do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB/UFRJ), professor José Garcia Abreu Junior, entre outros.

 

Da bancada do laboratório à prateleira das farmácias

 

Temos o início de uma parceria única no Brasil, onde toda a cadeia de inovação farmacêutica se beneficiará. Hoje, as universidades têm ideias boas, desenvolvem projetos de pesquisa, formam pessoas qualificadas e criam conhecimento, mas tudo isso resulta em uma renomada publicação científica”, chama a atenção o Professor Eliezer Barreiro, coordenador científico do INCT-INOFAR e do LASSBio.

Segundo Barreiro, neste modelo de parceria público-privada, baseada na “tríplice hélice da inovação" governo-academia-empresa, a indústria farmacêutica poderá desenvolver novos medicamentos, a partir do know-how acadêmico, que beneficiará muitos pacientes. Já as universidades envolvidas receberão recursos, advindos de todo o trabalho desenvolvido, que fomentará ainda mais o conhecimento e novas descobertas.

Pelo fato do LASSBio ser sede do INCT-INOFAR - rede de pesquisa financiada pela FAPERJ, CNPq e Ministério da Saúde, que reúne competências científicas da área de fármacos e medicamentos, presentes em diferentes Universidades e Centros de Pesquisas do País - o acordo poderá envolver novas parcerias da empresa em outros projetos de interesse recíproco, vinculados à rede do INCT-INOFAR ", observa o professor Eliezer.

 

Uma saída para amenizar a crise de investimentos públicos em pesquisa

 

Em meio à crise de investimentos nas universidades federais e corte de bolsas de pesquisa, o acordo de cooperação entre o INCT-INOFAR/LASSBio e a Eurofarma traz uma mensagem de otimismo. A parceria com a empresa possibilitará que pesquisadores identificados pelo INCT-INOFAR recebam bolsas de pós-doutorado e, no futuro, permitirá que a UFRJ receba royalties pelos medicamentos originados, a partir deste convênio.

Outro ponto positivo da parceria, destacada por Barreiro, é que, ao final do período da bolsa, os pesquisadores envolvidos nos projetos terão a possibilidade de serem absorvidos pela empresa, conquistando um posto de trabalho fora da universidade. Desta forma, o conhecimento produzido na Universidade em convênio com a empresa poderá contribuir com a inserção profissional de doutores, no ambiente de pesquisa do setor  farmacêutico nacional.

 “Nosso planejamento estratégico prevê que até 2030, 15% de todas as nossas vendas sejam revertidas para pesquisa & desenvolvimento. Em 2018, investimos R$ 250 milhões na pesquisa de fármacos e medicamentos e outros R$ 155 milhões estão sendo investidos no Centro Eurofarma de Inovação”, afirma Martha Penna, vice-presidente de Inovação da Eurofarma.

 

lassbio

 

Eurofarma irá testar compostos da quimioteca do LASSBio

 

Ao longo de 25 anos de pesquisas, o LASSBio construiu uma vasta quimioteca. Hoje, sua biblioteca de moléculas possui mais de 2 mil compostos, com propriedades bioativas comprovadas, sendo muitos avaliados em organismos vivos (in vivo). A parceria que se inicia irá possibilitar que a empresa teste, em diferentes alvos terapêuticos, as moléculas desta coleção. Em um primeiro momento, o screening molecular será virtual, a partir de modelos 3D, e a empresa selecionará os “hits”, compostos com maior afinidade com o alvo, para a próxima etapa de pesquisa. 

No LASSBio,  através de modelagem computacional, os hits de interesse serão otimizados, para melhorar o “encaixe” com o alvo terapêutico, eleito para tratar determinada doença. Amostras físicas dos compostos selecionados poderão ser sintetizadas nas bancadas do LASSBio e enviadas para testes mais avançados pela Eurofarma.

O coordenador científico do laboratório afirma que o processo de descoberta de fármacos é  longo e delicado. Para o especialista em Química Medicinal, nem todas as moléculas testadas no computador funcionam bem na vida real. Ainda há os estudos clínicos, com seres humanos, que são muito custosos para a academia arcar. Por isso é tão importante a parceria com a empresa farmacêutica. Segundo Eliezer, em nenhum lugar do mundo a universidade conseguiu, sozinha, colocar um medicamento no mercado.

O que estamos celebrando, hoje, com a parceria assinada com a Eurofarma, são ações translacionais em saúde, que permitem que o conhecimento da bancada do laboratório da Universidade chegue até a população”, ressalta. A expectativa do professor Eliezer Barreiro e sua equipe é que o convênio com a Eurofarma, empresa com capital 100% nacional, possa originar o primeiro medicamento brasileiro, fruto de inovação radical: "Um produto farmacêutico inovador, com maior valor agregado que os medicamentos genéricos (inovação incremental), capaz de tratar nossa população e ainda contribuir para melhorar o saldo da balança comercial do Brasil, ao ser exportado para outros países”.

 

 

AGÊNCIA UFRJ DE INOVAÇÃO
Rua Hélio de Almeida, s/n - Incubadora de Empresas - Prédio 2 (2º andar)
Cidade Universitária | Ilha do Fundão | Rio de Janeiro - RJ | 21941614
agenciadeinovacao@inovacao.ufrj.br | 21 3733-1788 | 21 3733-1797

              facebook       instagram   pr2 
 
 
UFRJ Agência UFRJ de Inovação - PR2 - UFRJ
Desenvolvido por: TIC/UFRJ