Dispositivo de contencao para animais de pequeno porte

Um pedido de proteção intelectual realizado pela Agência de Inovação junto ao INPI culminou, em 24 de novembro de 2020, na concessão de uma nova patente de modelo de utilidade para a UFRJ. Trata-se do “Dispositivo de contenção para animais de pequeno porte”. A nova tecnologia é indicada para uso em exames de imagem, tais como ressonância magnética, tomografia e cintilografia, proporcionando conforto, imobilização adequada, contenção e isolamento do animal, bem como segurança ao profissional veterinário ou pesquisador envolvido.

O responsável pelo seu desenvolvimento é Carlos Henrique da Luz Barbosa, que integra o staff colaborador do Serviço de Cirurgia Oral do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF/UFRJ). Ele conta que a ideia do dispositivo foi fruto de uma adversidade surgida enquanto realizava uma pesquisa com células-tronco para recuperação de articulação mandibular. “A partir do momento em que não foi possível realizar uma tomografia computadorizada num coelho em posição decúbito dorsal (deitado de costas), solicitei a utilização de um tomógrafo computadorizado de feixe cônico (cone beam), porém a posição para a realização do procedimento nesse aparelho é em decúbito sentado. Como colocar um coelho nesta posição para realizar o exame?”, indaga.

Não havia como posicionar um coelho sozinho nestas posições, a não ser que houvesse uma equipe para segurá-lo. Esta, aliás, é uma das restrições que os dispositivos até então desenvolvidos apresentam: a dificuldade de conter animais de pequeno porte para realizar exames de imagens, sem que haja a necessidade do contato de uma equipe assistente, estejam eles anestesiados ou em respiração espontânea.

A solução encontrada por Carlos foi inovar. Ele próprio desenvolveu a solução que buscava. Estudando sobre dispositivos de contenção de animais, acabou desenvolvendo um novo protótipo de madeira e depois em acrílico, consistindo em uma caixa, uma tampa estojo, um regulador de tamanho e uma trava de segurança que, acoplados, proporcionam a necessária contenção dos animais para a perfeita realização dos referidos exames de imagem.

“O dispositivo de contenção é confortável, seguro, eficiente e ergonômico. Permite acomodar os animais, com facilidade, em diferentes posições, incluindo a vertical, com estabilidade postural e total visibilidade. O adequado isolamento contribui para a redução do risco de acidentes e da contaminação ambiental, incorporando inovações aplicáveis no campo das Cirurgias Veterinária e Experimental, além da reconfiguração para uso translacional em anima nobili (em humanos), no âmbito da Neonatologia e Pediatria”, explica Carlos.

Premiação internacional

Além da concessão da carta patente, o novo dispositivo já rendeu a Carlos Henrique Barbosa o reconhecimento por parte da International Association of Advanced Materials (Associação Internacional de Materiais Avançados), da Suécia. Ele foi contemplado com o prêmio IAAM Scientist Award, além de ter participado do evento Advanced Materials Lectures Series 2020. A organização trabalha para facilitar uma comunidade altamente interativa de pesquisadores de materiais avançados, estimulando parcerias, colaborações e joint ventures.

Atualmente a UFRJ está em busca de empresas interessadas em produzir este novo modelo de utilidade em escala industrial, de modo que a inovação possa, de fato, chegar ao setor produtivo. Os interessados em obter mais informações devem entrar em contato com a Agência UFRJ de Inovação. Veja abaixo mais detalhes:

Dispositivo de contenção para animais de pequeno porte

RESUMO: O presente modelo de utilidade se refere a um dispositivo de contenção para animais de pequeno porte, que é consistido de uma caixa, uma tampa estojo, um regulador de tamanho e uma trava de segurança. Este dispositivo é indicado para uso em exames de imagem tais como ressonância magnética, tomografia e cintilografia, proporcionando conforto, imobilização adequada, contenção e isolamento do animal, bem como segurança ao profissional veterinário e pesquisador em ciências cirúrgicas, cirurgia experimental entre outros.

DESAFIOS E OBJETIVOS: Atualmente, muitos exames de imagens para animais ainda são realizados em aparelhos para humanos. Um dos desafios encontrados pelos profissionais da área veterinária e da cirurgia experimental é a contenção, imobilização adequada, confortável e segura dos animais de pequeno porte durante os procedimentos de exames de imagem.

SOLUÇÃO: O dispositivo de contenção é confortável, seguro, eficiente e ergonômico. Permite acomodar os animais, com facilidade, em diferentes posições, incluindo a vertical, com estabilidade postural e total visibilidade. O adequado isolamento contribui para a redução do risco de acidentes e da contaminação ambiental, incorporando inovações aplicáveis no campo das Cirurgias Veterinária e Experimental, além da reconfiguração para uso translacional em anima nobili (em humanos), no âmbito da Neonatologia e Pediatria”, explica Carlos.

TITULAR: Universidade Federal do Rio de Janeiro

INVENTORES: Carlos Henrique da Luz Barbosa; Alberto Schanaider

NÚMERO DO DEPÓSITO: BR2020140250331

 dispositivo para contencao de animais pequeno porte

 

 

 

AGÊNCIA UFRJ DE INOVAÇÃO
Rua Hélio de Almeida, s/n - Incubadora de Empresas - Prédio 2 (2º andar)
Cidade Universitária | Ilha do Fundão | Rio de Janeiro - RJ | 21941614
agenciadeinovacao@inovacao.ufrj.br | 21 3733-1788 | 21 3733-1797

              facebook       instagram   pr2 
 
 
UFRJ Agência UFRJ de Inovação - PR2 - UFRJ
Desenvolvido por: TIC/UFRJ