premiocasafirjan2019

A gerente de novos negócios, Luciana Carvalho, 31 anos, está eufórica. É porque foi uma das contempladas pelo Prêmio Casa Firjan, iniciativa que visa valorizar pesquisas científicas com os temas A reinvenção das empresas e O futuro do trabalho. O estudo desenvolvido como mestranda do Coppead, Instituto de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração da UFRJ, foi um dos oito premiados pelo projeto que teve cerimônia de premiação no dia 22/11. Todas as pesquisas são oriundas de universidades públicas e 90% delas, elaboradas por mulheres pesquisadoras.

“Faço parte de uma geração que vive uma transformação muito expressiva no ambiente corporativo. Antigamente as empresas tradicionais tinham o poder do mercado. Hoje, uma startup pode chegar e “chacoalhar” com as “grandes”, disse Luciana. 
Para minimizar a distância entre a academia e o mercado de trabalho, ela também propôs uma lista de boas práticas a fim de tornar a pesquisa útil e aplicável aos gestores que consideram implementar estratégias de inovação por meio do engajamento com startups.

“Os efeitos positivos dessas ações são a flexibilização de estruturas corporativas engessadas, o aumento no nível de agilidade e uma oxigenação da cultura corporativa tradicional”, complementou.

Conforme a gerente de Ambientes de Inovação da Casa Firjan, Julia Zardo, a universidade tem muito a agregar nesse momento de reinvenção das empresas e de desafios da transformação. “É por isso que organizamos essa iniciativa: para levantar quais linhas de pesquisa existem sobre inovação na indústria e quais dessas práticas inovadores podem ser adaptadas à realidade do Rio.”

Trata-se, na visão da Firjan, do primeiro passo para aproximar a universidade da indústria fluminense. “Comemoramos  hoje não só a qualidade dessas pesquisas, mas uma possível continuidade deste projeto que fala de futuro e estimula a relação academia e empresa”, frisou o presidente do Conselho Estratégico da Casa Firjan, Joaquim Falcão.

“A ideia, agora, é disseminar as soluções e as reflexões proposta. Só assim a gente sai do “achismo” e prova, com dados, que a inovação é, sim, essencial para o desenvolvimento do estado”, finalizou Julia.

Mulheres na pesquisa

Na visão da professora orientadora do Coppead, UFRJ, Elaine Tavares, o resultado do Prêmio Casa Firjan reflete a capacidade das mulheres pesquisadoras e a presença massiva delas na universidade.  “A academia é um dos espaços mais diversos e, apesar de apresentar certos entraves em determinadas áreas, abre cada vez mais espaço para a mulher e para a diversidade.” Segundo a docente, a presença da mulher na universidade tem pautado os debates da UFRJ, principalmente após Denise Pires de Carvalho ter sido nomeada a primeira reitora da instituição.

Nesse contexto, emociona-se a doutora em Engenharia pela Universidade Federal Fluminense (UFF) Adriane Quelhas que, durante o doutorado, intercalou o desafio de largar uma profissão para seguir o sonho da academia e, ainda, aliar a criação da filha. “Na vida de uma mulher nada é simples. Os primeiros anos do meu doutorado foram muito puxados, pois além de deixar o emprego para me dedicar à academia, tive que amamentar, acordar de madrugada e dar conta de ser mãe”, lembrou.

Os desafios, porém, foram superados pelo propósito de Adriane: educar e desenvolver pessoas. “Recebi muito apoio nessa trajetória, mas é fato que a mulher cria uma “musculatura” mais forte ao encarar tantas montanhas no meio do caminho. Agora só tenho a agradecer”, finaliza.

“Reduzir o abismo entre universidade e organizações”

A doutora pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Adriane Quelhas, avalia o Prêmio Casa Firjan como uma injeção de ânimo para os pesquisadores do Rio. “Esse prêmio significa um reconhecimento da dedicação, amor pela pesquisa acadêmica e a certeza de que é possível reduzir o abismo que existe hoje no Brasil entre as universidades e as organizações, criando uma nova relação entre a teoria e pratica na reinvenção das empresas.”

Nesse contexto, Luciana Carvalho complementa: “Além de contribuir para o fomento de pesquisa sobre assuntos relevantes, esta iniciativa também ajuda a propagar as pesquisas para empresas e gestores que podem aplicar esse novo conhecimento e trazer benefícios para as suas empresas.”

Nesse contexto, o presidente e um dos jurados do prêmio, Antônio Carlos Vilela complementou que o Prêmio Casa Firjan é uma iniciativa que colabora para inovar a relação entre universidade e empresa. “Se não revermos nossos processos dentro das empresas, dificilmente iremos avançar. Nós, empresários, conseguimos enxergar melhor o mundo através do olhar desses pesquisadores”, finalizou o empresário.

O Prêmio Casa Firjan recebeu 117 inscritos e, dos oito vencedores, sete foram mulheres. Além da UFRJ e UFF, o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) também marcou presença entre a lista de vencedores. Os orientadores também serão contemplados com o prêmio que varia de R$ 2 a R$ 20 mil. O prêmio integra o programa “Pensamento”, que provoca o diálogo e a troca com diferentes públicos e ecossistemas sobre os principais temas da Casa Firjan: o futuro do trabalho, a reinvenção das empresas e o novo papel da representação empresarial.

Veja quem são os vencedores

Tema: A reinvenção das empresas

MESTRADO

1° lugar:
Luciana Lima Meik de Carvalho (pesquisadora) e Elaine Tavares (orientadora)
CORPORATE INNOVATION THROUGH ENGAGEMENT WITH STARTUPS: searching for sustained competitive advantage?
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

2º lugar:
Bruno Montandon Noronha Barros (pesquisador) e Elaine Tavares (orientadora)
Intangíveis na Análise de Projetos Tecnológicos para Institutos Públicos de Pesquisa
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

DOUTORADO

1° lugar:
Amanda Fernandes Xavier Pedrosa (pesquisadora) e Ricardo Manfredi Naveiro (orientador)
Proposta de um Modelo de Maturidade para Avaliação das Práticas de Eco-Inovação nas Organizações: ECO-MI
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

2° lugar:
Daniella Fartes dos Santos e Silva (pesquisadora) e José Vitor Bomtempo (orientador)
Ecossistemas de Inovação: 2 estudos de caso na Bioeconomia
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Tema: O Futuro do Trabalho

MESTRADO

1° lugar:
Antonella Bruna da Silva Melo Roriz (pesquisadora) e Sérgio Medeiros Paulino de Carvalho (orientador):
Experiência-piloto de teletrabalho para os Tecnologistas do Instituto Nacional da Propriedade Industrial: impactos na produtividade, desempenho institucional e qualidade de vida no trabalho.
Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi)

2° lugar:
Cristine Clemente de Carvalho (pesquisadora) e Roberto dos Santos Bartholo Junior (orientador)
Modelo de Negócio Virtual e Operação Real. Estudo de Caso da empresa Uber Technologies Inc no Rio de Janeiro.
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

DOUTORADO

1° lugar:
Simone Metello de Mattos Castro (pesquisadora) e Fernando Toledo Ferraz (orientador)
Reflexos do teletrabalho no comprometimento organizacional, intenção de sair, satisfação e exaustão no trabalho.
Universidade Federal Fluminense (UFF)

2° lugar:
Adriane D. Quelhas (pesquisadora) e José Rodrigues de Farias Filho (orientador)
Modelo para medir a aderência da cultura, clima, e comportamento organizacional em uma empresa de construção civil estado do Rio de Janeiro
Universidade Federal Fluminense (UFF)

O PRÊMIO CASA FIRJAN EM NÚMEROS

•         56% dos inscritos foram mulheres (Dos 117 inscritos, 66 foram mulheres);
•         64% dos inscritos foram de universidades públicas (Dos 117 inscritos, 73 foram mulheres);
•         320% dos inscritos foram da área de engenharia (Dos 117 inscritos, 24 foram de área de engenharia);
•         100% dos vencedores são de universidades públicos (Os 8 vencedores são de universidades públicas: 5 da UFRJ, 2 da UFF e 1 do INPI);
•         62,5% dos vencedores são da área da engenharia (Dos 8 vencedores, 5 são da área da engenharia (2 da administração e 1 de uma área multidisciplinar).

Saiba mais sobre o Prêmio Casa Firjan.

 

(FONTE: FIRJAN)

 

 

AGÊNCIA UFRJ DE INOVAÇÃO
Rua Hélio de Almeida, s/n - Incubadora de Empresas - Prédio 2 (2º andar)
Cidade Universitária | Ilha do Fundão | Rio de Janeiro - RJ | 21941614
21 3733-1788 | 21 3733-1797

              facebook       instagram   pr2 
 
 
UFRJ Agência UFRJ de Inovação - PR2 - UFRJ
Desenvolvido por: TIC/UFRJ