hackatonO termo “hackathon” significa maratona de programação. Resultado de uma combinação das palavras inglesas “hack” (programar de forma excepcional) e “marathon” (maratona), o hackathon é um tipo de evento que reúne programadores, designers e outros profissionais ligados ao desenvolvimento de softwares para uma maratona de programação. Nestes encontros, que normalmente duram entre um dia e uma semana, os participantes desenvolvem programas que atendam a um fim específico ou projetos livres que sejam inovadores e utilizáveis.

Os primeiros eventos deste gênero datam de 1999. Desde então, os hackathons se popularizaram nos Estados Unidos, não tardando para que começassem a acontecer também em outros países. O Brasil é um exemplo.

Nos dias 17, 18 e 19 de maio, as dependências do Auditório Horta Barbosa, no bloco A do Centro de Tecnologia do campus do Fundão, sediaram o primeiro grande Hackathon da UFRJ. O evento integrou a Semana de Eletrônica e Computação.

Segundo a estudante Marina Torres, uma das organizadoras do evento, a ideia surgiu a partir da Semana de Eletrônica e Computação de 2015: “Numa das palestras que ocorreram no ano passado, um representante da empresa Módulo Security Solutions comentou sobre a experiência que eles tiveram ao realizarem este tipo de maratona. Daí surgiu a ideia de realizar algo parecido em 2016, mas com ideias que fossem voltadas para questões relativas à própria UFRJ”.

Com o tema “Soluções para nossa Universidade”, os participantes do Hackathon contaram com um espaço de interação e troca com infraestrutura completa e acesso à internet de qualidade pelo prazo de dois dias ininterruptos. A proposta foi gerar um ambiente de liberdade criativa propício para a concepção e desenvolvimento de serviços, aplicativos e produtos com o condão de melhorar as condições cotidianas dos diferentes campi da UFRJ. Todas as temáticas e tipos de solução foram aceitos. A única orientação foi que os projetos fossem inovadores e tivessem aplicabilidade prática.

Projeto vencedor propôs reduzir e controlar os gastos com ares-condicionados

O trabalho elaborado pelos universitários Olavo Sampaio, Pedro Del Rei, Arthur Chau, Pedro Cayres e Luiz Rennó, todos cursando entre o 8º e o 12º período de Engenharia Eletrônica, foi eleito por uma junta composta pela organização, professores e agentes externos como o grande vencedor do Hackathon UFRJ. A ideia que moveu o projeto foi a redução do consumo de energia elétrica na Universidade. “Como o uso do ar-condicionado é o maior responsável, resolvemos pensar em alguma solução que melhorasse isso. Fizemos um aparelho que controla o ar-condicionado e um software que dá as instruções e mantém seu registro de uso. Assim, instalando esse sistema em uma sala, ele pode ligar e desligar o aparelho em horários predeterminados e registrar quanto tempo o ar ficou ligado”, explica Luiz Rennó.

Segundo o estudante: “Tivemos a ideia alguns dias antes do Hackathon, mas só foi decidida na hora mesmo, na hora do brainstorming. Um dos membros do grupo observou que frequentemente várias salas ficam sem ninguém, mas com ar ligado, e aí decidimos atacar este problema”. Para ele, a experiência foi muito proveitosa: “Foi muito bom. Trabalhamos com outros grupos excelentes e aprendemos coisas que de outra forma não teríamos estudado com tanto afinco. Até compensa ter ficado sem dormir”.

Animada com a visibilidade proporcionada pelo Hackathon, a equipe já mira o próximo passo: “Já temos muitas ideias de novas funcionalidades, e estamos conversando com a Reitoria e com a COPPE para pensar na melhor maneira de implementar o projeto na Universidade”.

AGÊNCIA UFRJ DE INOVAÇÃO
Rua Hélio de Almeida, s/n - Incubadora de Empresas - Prédio 2 (salas 25 a 29)
Cidade Universitária | Ilha do Fundão | Rio de Janeiro - RJ | 21941614
21 3733-1793 | 21 3733-1788

              facebook        
 twitter 
UFRJ Agência UFRJ de Inovação - PR2 - UFRJ
Desenvolvido por: TIC/UFRJ