fablabUma rede mundial de pequenas oficinas de fabricação digital voltadas principalmente à prototipagem, onde a ideia é promover a inovação. É este o conceito por trás da rede global de laboratórios FabLab, fruto de uma iniciativa surgida no Center for Bits and Atoms do Massachusetts Institute of Technology. Cada FabLab (de fabrication laboratory) é um espaço compartilhado, composto, basicamente, por ferramentas eletrônicas e softwares, impressoras 3D, cortadoras laser e fresadoras.

Influenciada pelos movimentos open source (código aberto) e open design (design aberto), que permitem o licenciamento livre e participação coletiva na construção de um programa ou design, a rede FabLab se estende atualmente por mais de 70 países e contabiliza cerca de 560 laboratórios pelo mundo. Ela conta com um banco de dados com mais de 13.000 projetos open source, milhares de membros associados e de projetos completos, detalhados e documentados, além de centenas de casos de sucesso disponíveis para a indústria, seja quanto ao desenvolvimento de protótipos, ensaios, experimentos, testes, design review, reengenharia, ou novos produtos. O conceito por trás dos FabLabs relaciona-se diretamente à “cultura maker”, movimento que se baseia na fabricação digital de alta tecnologia e possibilita que pessoas comuns explorem a capacidade, que antes só as grandes fábricas tinham, de criar qualquer coisa.

No Rio de Janeiro, já existe um FabLab em funcionamento desde 2014, localizado no Instituto SENAI de Tecnologia Automação e Simulação, em Benfica. Lá, os alunos têm acesso a uma marcenaria, a fresadoras de pequeno e grande porte, máquinas de corte a laser e de corte de vinil, impressoras 3D, kits Arduino para montagem de circuitos eletrônicos, entre outros materiais e ferramentas.

Os FabLabs contam também com uma sala de reuniões e uma área específica de P&D na qual computadores equipados com ferramentas de programação suportadas por softwares open source freewares possibilitam aos alunos o acesso a redes de projetos abertos, interagindo e colaborando com outros FabLabs locais e globais de modo interdisciplinar. Por sinal, a própria arquitetura do ambiente, propositalmente pensada com pouquíssimas divisórias, também favorece a interação entre as equipes e a troca de experiência entre os alunos.

Segund Rozeani Araújo, do SENAI, a ideia que move o FabLab é “fazer com que os alunos aprendam com os desafios reais da indústria, instigando-os a criarem soluções para estes problemas”. Felipe Laranja, também do SENAI, completa: “Através do FabLab é possível não apenas trabalhar as competências dos cursos do SENAI, mas levar adiante o viés inovador e empreendedor de cada aluno”.

 

Oficina de iniciação

O SENAI FabLab também oferece um curso de iniciação de 20 horas no qual os alunos são apresentados aos conceitos básicos de inovação, debatem sobre projetos em andamento nos FabLabs ao redor do mundo e têm o primeiro contato com alguns dos equipamentos. Os alunos que mais se destacam na iniciação são convidados a fazer, gratuitamente, o curso de Assistente de Projetos FabLab – Maker. Este segundo curso tem carga horária de 160 horas e aborda os seguintes conteúdos: estudo dos desafios setoriais; elaboração de projetos; criação, design e programação; e prototipagem.

Para participar do processo seletivo para o curso de Assistente de Projetos é necessário apresentar um pré-projeto relacionado a uma das linhas de trabalho presentes no edital de vagas, além de já ter cumprido 50% da carga horária do respectivo curso técnico com aproveitamento. A escolha dos candidatos é realizada por uma comissão técnica do SENAI.

Mais informações em: www.senaifablab.com.br.

 

AGÊNCIA UFRJ DE INOVAÇÃO
Rua Hélio de Almeida, s/n - Incubadora de Empresas - Prédio 2 (salas 25 a 29)
Cidade Universitária | Ilha do Fundão | Rio de Janeiro - RJ | 21941614
21 3733-1793 | 21 3733-1788

              facebook        
 twitter 
UFRJ Agência UFRJ de Inovação - PR2 - UFRJ
Desenvolvido por: TIC/UFRJ